sábado, 19 de abril de 2014

FAZER MANGÁ NO SENTIDO ORIENTAL?



 Acho que entre todas as perguntas que me fazem sobre meu trabalho com mangá, essa é uma das mais frequentes pelo pessoal que acompanha o Tanosekai. Pra quê fazer mangá no sentido oriental? afinal, estamos no brasil e não no japão! apesar de termos hoje em dia muitos quadrinhos japoneses à venda por aqui tornando todo mundo familiarizado com esse tipo diferenciado de leitura, as editoras não tendem a aceitar material feito nesses moldes por autores nacionais.

 Trabalhar com quadrinho feito no sentido oriental pode acabar lhe dando uma má fama também, afinal isso é visto por muitos como coisa de "fã" e não de profissional, afinal qual publico de leitores exatamente você está tentando atingir? porque se você joga na internet um material como uma história em quadrinhos, obviamente você tem um publico alvo de leitores, e poucas pessoas vão ler um quadrinho (mangá, que seja!) que foi feito no sentido oriental, com nomes em japonês e com onomatopeias em japonês e tem como publico alvo os leitores brasileiros... mas eim!?

 Tá legal mas então por que diabos um cara que publica na rede um mangá com exatamente todos esses padrões orientais está defendendo que você precisa criar mangás no sentido ocidental?... é o seguinte....

 Tudo começou em 2010, foi quando resolvi levar a sério trabalhar com mangá, eu não fazia ideia de o que fazer com um mangá no brasil, afinal um dos poucos quadrinhos nacionais que eu conhecia era Holy Avenger. Então resolvi procurar algum meio de publicar em algum site japonês (eu era muito ingênuo e achava que só jogando meu mangá em algum site japonês eu poderia me dar bem, não que eu achasse que fosse fácil, mas que seria no mínimo possível) comecei a trabalhar no tal mangá, que acabei chamando de tanosekai (ainda tenho dúvidas sobre esse nome...) na verdade eu tinha muito pouco acesso a internet na época, por isso não tinha muitos contatos que entendessem de quadrinhos.

 Eu trabalhava no tanosekai todos os dias, trabalhei bastante o roteiro antes de começar a desenhar, eu não queria fazer um mangá qualquer, eu queria algo que chama-se a atenção mesmo, o historia se passando no japão, com personagens japoneses, onomatopeias em japonês e no sentido oriental de leitura. Porém com o tempo acabei encontrando dificuldades para traduzir o mangá para japonês e também já estava desanimando, vendo outros mangás que nem ao menos tinham alguma atenção, com um traço bem melhor que o meu.


Então joguei tanosekai em um site nacional mesmo, o Dpzine. Porém eu não esperava uma aceitação tão grande por parte do publico, por meses tanosekai ficou em disparado em primeiro lugar no rank de visualizações, e sempre recebia boas criticas. Com o passar do tempo tanosekai acabou migrando para a revista digital nanquim (atual Conexão Nanquim) e foi lá que descobri que não havia sentido criar algo no sentido oriental, pensei até mesmo em desistir de tanosekai, cancelar e começar algo novo de uma vez, mas alguns leitores me convenceram do contrário, que se fizesse isso tanosekai seria apenas mais um dos muitos quadrinhos nacionais que foram abandonados pelos autores. Mesmo não sendo um fenômeno, tanosekai iria se destacar sendo uma série grande que foi finalizada. Por que não? o roteiro já está pronto, e vários leitores fieis acompanham o mangá? isso só vai me ajudar quando eu conseguir algum dia lançar algum trabalho por uma editora, muitos já conhecerão meu nome.

 Mas quer dizer que nunca chegarei a lugar algum se eu criar um mangá no sentido oriental? não exatamente, você pode ganhar muitos fãs se o seu trabalho for realmente bom, muitos não vão se importar com isso, mas como eu disse lá em cima, ele não será visto como algo profissional, vai parecer que você não está levando a sério. Você pode até criar algo para tentar enviar para sites japoneses na boa, mas faça absolutamente tudo em japonês (até o texto) e saiba que se por aqui é difícil, lá é umas dez mil vezes mais!

 Então meu conselho é que você que está começando a trabalhar com quadrinhos que crie trabalhos no sentido ocidental, sem onomatopeias em japonês, bem gibizão mesmo! porque será a forma mais certa de você chegar em algum lugar. Quanto ao Tanosekai, eu não abandonei a obra mesmo sabendo de tudo isso, pelo simples motivo de que ele realmente conquistou fãs e alguns leitores pelo qual tenho grande respeito e gratidão, e como eu comecei e já fui tão longe com ele, vou continuar até o fim. Tanosekai não é algo que eu considere "profissional" ele possui muitos erros, momentos toscos até, mas não estou desmerecendo meu trabalho, muito pelo contrário, tanosekai está me fazendo evoluir, aprendi muito e ainda aprenderei muito mais com ele sobre fazer quadrinhos, considero tanosekai quase um reality show de um quadrinista em seu processo de evolução de amador para profissional. Por isso continuarei sempre publicando um capítulo mensal até encerrar tanosekai, mas o meu verdadeiro foco está nos one-shots que produzo para os concursos de mangás.
 Então aqui fica meu conselho, produza sempre quadrinhos ocidentais, mas não deixe de acompanhar Tanosekai!

Nenhum comentário:

Postar um comentário